Visitas

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Good girls go to heaven, bad girls go to Ibiza...

O que tem Ibiza afinal???

Tem um tempo fantástico, um mar lindo e quente, tem uma liberdade e loucura, que me a fazem descrever - como esta ilha não é para católicos! 

Tive tudo o que quis e, mais pudesse querer. 

Fui a Eva no Paraíso, senti-me a Bo Dereck sempre que saia do mar, nua. Vi tantos hippies por metro quadrado, vi mais pilas nesta semana, do que nos últimos anos. Posso concluir que há gente muito mal servida... Coitados dos ingleses! 

No segundo dia, conheci um velho neozelandês. Estava nu. Tinha uma argola na pila ( que julgo servia como "prolongador" da erecção!),, dadas as circunstâncias, preferi não lhe perguntar. Sei que andei com um velho nu, no meio de ravinas e mato,  numa terra estranha, sozinha. Só pensava " foda-se o gajo vai te violar e a seguir manda-te da ravina", e depois controlava os pensamentos...Ah, é só um velho... em último caso, cai ele da ravina! 
Consegui sobreviver ao Mickael até ao momento que me convidou para ir nadar, e beber um vinho em casa dele, para ver a vista. Simmmmmmmmmmmmm, claro!

No dia seguinte, direcção oposta ao neozelandês... Encontro um paraíso de nudistas e foi onde fiquei. Passados uns minutos, aparece o Adão, que me pergunta se tenho "papiers", no tenho. Mas decide ficar ao meu lado. Até aparecer o outro velho, das minhas férias. Inglês, já com uns 70 e muitos, que se deita ao meu lado. Sinto-me "ensapixada", pelo moreno, avantajado, espanhol, e pelo velho, inglês, que se deitava de lado, virado para mim, segurando a dita. Contou-me tais pormenores da sua vida, que sei que foi a sua cunhada, a rapar-lhe os pelos, para ele ir de férias. Tinha uma certa obsessão, em olhar as zonas púbicas dos homens alheios e escandalizado, dizia " Why didn't they shave??". I don't know!!

O meu Adão, contrariamente, tentava seduzir-me descaradamente.
 De um lado em espanhol, de outro em inglês. Ou mais uma tentativa de falar qualquer uma das duas. Sei que os dias na praia eram tão divertidos, que os dois livros que levei, vieram intactos. Aqui, Calla Nova, encontro também provavelmente, o homem mais estranho que já vi. Uma mistura de Mr. Spocks com um mau penteado dos anos 80. O seu corpo era estranho, muito estranho. Cheio de manias. Estava nu na toalha, levava os calções para tomar banho, e à saída tirava-os e lavava os calções. Era tão estranho, que cheguei ao fim das férias sem perceber, se ele gostava de carne ou de peixe. Ou de nada! Sei lá! Sei que quando me lembro dele a fazer uns exercícios, na toalha, exibindo uma figurinha ridícula, tive de ir ao banho porque já chorava a rir. Azar, dos azares. Instalado no meu hotel, e a caminho do meu apartamento. Quando conheces alguém nu, toda a relação que possam ter fora dali, é estranha.
 Porque normalmente começamos sempre ao contrário. Vestidos, a tentar tapar o que temos de pior, Ali, não há como enganar. You have what you see! 

O Adão, que a certa altura me diz que é venezuelano, está doido com os meus pés! E a certa altura mostra-me o quanto foi abençoado. Digo-lhe para olhar para o velho inglês e para ir à água, mas a verdade é que a 24graus, a água não tem factor shrink... E viva a Maria!

Conheci outro inglês no hotel, divorciado e que também ali estava sozinho. Só lhe dei uma oportunidade na ultima noite, em que jantei na mesma mesa que ele, e bebi um copo com ele na disco. Quando me quis levar ao quarto, despedi-me dele. Alan ou Adam, qualquer coisa assim! 

Entretanto para o meu lado chegaram umas alemãs, que pouco ou nada falavam de inglês. Uma loira simpática, uma morena que se enfiava na cama, às 23h. A loira, andava enrolada com outro alemão, cheio de tattoos e piercings na cara, fumou um porro comigo, e dizia-me i want to fuck a pussy, ela sem perceber nada. Eu ria-me. Acabou por "fuck her right in the pussy", no quarto com a morena a dormir. 

Em Ibiza tudo é inesperado. Tudo é livre. É sexo dentro de água, por pessoas inesperadas. É sentires o cheiro e vindo de quem menos esperas. É estar dentro de água, e ser tão transparente, que no primeiro dia, me assustei com a minha própria sombra. É vir um hippie nu, a nadar em direcção a mim. E eu pensar...it's Ibiza!

Ibiza tem um ritmo diferente de tudo. Não será para todos. Especialmente todas... e sozinha! Ibiza onde até as algas parecem serpentinas. Onde a música surpreende.

 E cara, muito cara! 

E what happens in Ibiza, stays in Ibiza... Until next time.... 

Sem comentários:

Enviar um comentário