Visitas

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Uma ausência forçada

Uma semana de trabalho a acompanhar 25 idosos em férias. Aveiro com passagem por Mangualde, Viseu, Luso, Águeda, Vagos, Vouzela. Subir e descer autocarros, contar idosos. Ouvir desafinar, tentar dançar, estar presente, resolver conflitos. De segunda a sábado, das 9h00 às 00h00.

Próximo fim de semana, volto a trabalhar. Com presença no sábado, numa mesa redonda sobre a
 " Violência em contexto familiar".

 Estou de rastos. Mas de hoje a uma semana, embarco! Para as férias, que se querem as mais animadas de sempre. Contrariando tudo o que normalmente procuro e preciso. Tenho dito em tom de brincadeira, que tenho medo de me perder e não voltar.

Perder-me é certo, o não voltar é que é mais difícil.

Sem comentários:

Enviar um comentário