Visitas

terça-feira, 14 de abril de 2015

Relativizar prioridades

Passei um fim de semana merdoso. Há dias em que, custa estupidamente, chegar a casa e não ter ninguém para partilhar o dia. Ter aquele abraço reconfortante depois de um dia caótico ou poder partilhar as alegrias de um dia feliz. Sexta-feira foi um desses dias. Apesar da noção que na maior parte dos dias, vivo bem com a minha liberdade e independência, aquela que tendencialmente "assusta os homens".

A neura existencialista que me assolou o fim de semana inteiro, passou quando começou a falta de ar. Adormeci eram 6h, acordei eram 7h20. Passei a noite e o dia a tossir. A tosse seca da asma, que fere a garganta, até me transformar completamente a voz. O ter de controlar a respiração permanentemente, deixou-me com um cansaço inexplicável. Ok, não dormi e também praticamente não comi o dia inteiro ( em alguns casos pode ser uma vantagem, o facto de não se respirar e custar a comer!)

Estou inchada porque o esforço de respirar descontrola tudo...E continuo sem conseguir dormir. E as prioridades,  mudam de um momento para o outro.


Sem comentários:

Enviar um comentário